• This is Slide 1 Title

    This is slide 1 description. Go to Edit HTML and replace these sentences with your own words. This is a Blogger template by Lasantha - PremiumBloggerTemplates.com...

  • This is Slide 2 Title

    This is slide 2 description. Go to Edit HTML and replace these sentences with your own words. This is a Blogger template by Lasantha - PremiumBloggerTemplates.com...

  • This is Slide 3 Title

    This is slide 3 description. Go to Edit HTML and replace these sentences with your own words. This is a Blogger template by Lasantha - PremiumBloggerTemplates.com...

30 de jul de 2014

Quando Oramos!

Introdução: O versículo 31 começa dizendo: “tendo eles orado”. 
Quando oramos, o Senhor se manifesta trazendo transformações.
Vejamos abaixo trajetórias dos discípulos da Igreja Primitiva:

1. Foram novamente fortalecidos por Deus.
“Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos.
Todos ficaram cheios do Espírito Santo 
E com intrepidez, anunciavam a palavra de Deus” (v.31).
Os discípulos receberam intrepidez para a pregação do Evangelho.
 Através do poder do Espírito Santo.
A eficácia na pregação vem através do Espírito Santo.

2. Renunciaram as suas preferências, os seus reinos pessoais.
“Da multidão dos que creram era um o coração e a alma” (v.32a).
Significa: “Todos os que creram pensavam e sentiam do mesmo modo”.
Havia unidade, comunhão entre eles (Sl 133; Gn 11.6).
O mais importante era o coletivo.

3. Estavam despreocupados das coisas terrenas.
“Ninguém considerava exclusivamente sua nem uma das coisas que possuía.
Tudo, porém, lhes era comum” (v.32b).
Não viviam ansiosos pelo dia de amanhã (Mt 6.24-34)
Tudo era distribuído por todos e para todos.

4. Receberam poder para anunciar a Palavra.
“Com grande poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus” (v.33a).
Os discípulos anunciavam a Palavra debaixo da Unção e do poder do Espírito Santo.
Se desejamos ser eficientes em tudo que fazemos.
É necessário intimidade com Deus através da oração.

5. Foram cheios com a plenitude da Graça.
“e em todos eles havia abundante graça” (v.33b).
Mas, afinal o que é Graça?
a.O amor de Deus que salva as pessoas e as conserva unidas com Ele
(Sl 90.17; Ef 2.5; Tt 2.11; 2Pe 3.18).
b. A soma das bênçãos que uma pessoa, sem merecer, recebe de Deus
(Sl 84.11; Rm 6.1; Ef 2.7).
c. A influência sustentadora de Deus que permite que a pessoa salva continue fiel e firme na fé.
(Rm 5.17; 2Co 12.9; Hb 12.28).
d. Louvor; gratidão (Sl 147.7; Mt 11.25).
e. Boa vontade; aprovação (Gn 6.8; Lc 1.30; 2.52).
f. Beleza (Pv 31.30).
g. Bondade (Zc 12.10).
h. “De graça” é “sem pagar” (Gn 29.15; Mt 10.8).

6. Viveram e cuidaram uns dos outros.
“Pois nenhum necessitado havia entre eles, porquanto os que possuíam terras ou casas. 
Vendendo-as, traziam os valores correspondentes e depositavam aos pés dos apóstolos. 
Então, se distribuía a qualquer um à medida que alguém tinha necessidade” (vs.34, 35).
Através de uma vida de oração os discípulos venceram o egoísmo.
Veja o que diz 1 Tm 5.8: 
“Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa.
Tem negado a fé e é pior do que o descrente”.

Conclusão: 
Quando oramos, o lugar treme, ficamos cheios do Espírito Santo.
 E consequentemente recebemos coragem para vencer.