• This is Slide 1 Title

    This is slide 1 description. Go to Edit HTML and replace these sentences with your own words. This is a Blogger template by Lasantha - PremiumBloggerTemplates.com...

  • This is Slide 2 Title

    This is slide 2 description. Go to Edit HTML and replace these sentences with your own words. This is a Blogger template by Lasantha - PremiumBloggerTemplates.com...

  • This is Slide 3 Title

    This is slide 3 description. Go to Edit HTML and replace these sentences with your own words. This is a Blogger template by Lasantha - PremiumBloggerTemplates.com...

11 de mar de 2017

AS HERESIAS QUE LEVAM AO MATERIALISMO


Por Cristiano França

"Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam." (Mateus 6:19-20)

Uma mensagem que leva as pessoas ao apego exagerado aos bens materiais não pode ser considerada genuinamente cristã. Quando observamos nos versículos que iniciaram este texto o que Jesus de Nazaré ensinou em Seu sermão aos judeus de Sua época, podemos ter a exata noção do que o Senhor quer para o nosso viver neste mundo em relação ao aspecto material da vida. E antes que alguém possa argumentar que os ensinos do Nazareno eram apenas para os judeus e que, por isso, este raciocínio não serviria para nós, quero citar que no Evangelho da Graça pregado por Paulo também há uma instrução bem semelhante à de Jesus nos dias de Sua carne:

“Se, pois, fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra.” (Colossenses 3:1-2)

Ambos os ensinamentos — de Jesus de Nazaré e do apóstolo Paulo — nos levam ao mesmo caminho: o desapego ao mundo material.

Vemos no meio do sistema religioso que a visão carnal acerca da Mensagem divina tem conduzido o povo que se diz de Deus à desgraça de viver constantemente em busca de bens e conquistas materiais em detrimento do aspecto espiritual, que é o que realmente importa para a vida dos eleitos do Eterno. Podemos ver dois exemplos destes ensinos distorcidos:

1) “O Senhor é o meu Pastor, nada me faltará.”

Vemos esta Promessa do Salmo 23:1 sempre sendo usada para fazer referência ao aspecto material da vida, como se Deus tivesse nos prometido a total ausência de problemas e nenhuma falta material, de modo que todas as nossas vontades materiais devessem ser satisfeitas. No entanto, para vermos o erro desta interpretação, basta darmos uma simples conferida na história da igreja primitiva, onde podemos observar a tamanha pobreza de muitas congregações, a ponto de igrejas compostas de pessoas menos pobres se reunirem para ajudar os mais necessitados (2ª Coríntios 8:1-24). Ou seja, a ampla suficiência prometida neste Salmo diz respeito ao âmbito espiritual, onde já temos a plenitude e de fato NADA nos falta.

“E estais perfeitos (plenos, completos) nele, que é a cabeça de todo o principado e potestade.” (Colossenses 2:10)

É claro que Deus promete, aos que buscam primeiro o Seu Reino, o acrescentamento em suas vidas (Mateus 6:33). Mas, no contexto vemos que esta promessa está relacionada às coisas básicas da vida; não é algo que nos leva a idolatrar bens materiais (Mateus 6:25-34).

2) “Posso todas as coisas naquele que me fortalece.” (Filipenses 4:13)

A maioria dos líderes religiosos interpreta este texto como sendo uma evidência de que podemos conquistar tudo do ponto de vista material. No entanto, no contexto vemos Paulo dizer que pode até suportar passar por necessidades através da força de Deus em sua vida. Enfim.

A Palavra da Graça nos traz equilíbrio. Assim, entendo que podemos, sim, sonhar com uma vida melhor, buscar conquistas materiais, mas sem permitir que nos apeguemos exageradamente às coisas passageiras do mundo. Jamais devemos colocar as coisas materiais acima de Deus e de Seu Reino ou buscar servirmos ao Senhor para tentar angariar benefícios materiais dEle — como a maldita “teologia da prosperidade” ensina às multidões de gananciosos que só querem Deus pelo que Ele tem e não por quem Ele é para nós.

Fonte:http://www.evangelhogenuino.com.br/