• This is Slide 1 Title

    This is slide 1 description. Go to Edit HTML and replace these sentences with your own words. This is a Blogger template by Lasantha - PremiumBloggerTemplates.com...

  • This is Slide 2 Title

    This is slide 2 description. Go to Edit HTML and replace these sentences with your own words. This is a Blogger template by Lasantha - PremiumBloggerTemplates.com...

  • This is Slide 3 Title

    This is slide 3 description. Go to Edit HTML and replace these sentences with your own words. This is a Blogger template by Lasantha - PremiumBloggerTemplates.com...

20 de ago de 2012

O Gigante de Gate - Resistência e Queda.

Apóstolo: Renê Terra Nova

“Houve ainda também outra peleja em Gate, onde estava um homem de alta estatura, que tinha seis dedos em cada mão, e seis em cada pé, vinte e quatro por todos; também este era descendente do gigante. Tendo ele desafiado a Israel, Jônatas, filho de Simei, irmão de Davi, o matou.” (II Samuel 21:20,21)

No contexto dos hebreus, Gate significa lagar, um lugar de onde se extrai o vinho, lugar de separação entre e bom e o ruim, o prestável e o imprestável. Mas no contexto dos filisteus, vemos a função do gigante de Gate: um homem exterminador, que nada nem ninguém poderia estar à sua frente, porque ele saía destruindo tudo e todos, levantando-se com braço forte.

Esse gigante está em vários textos bíblicos que mostram que os geteus vêm do lugar chamado terra de gigantes, ou seja, lugar onde habitam os poderosos, os que mandam, os que decidem, os que oprimem.

Cinco fortes cidades eram guiadas por Gate, onde morava este gigante. Essas cidades eram imponentes na época; hoje, estão destruídas. São elas: Gaza, Asdode, Asquelom, Ecrom e a própria Gate (Josué 13:3). Cada uma delas era liderada por um gigante.

Hoje não precisamos mais de revelação para saber o porquê de Davi ter pegado cinco pedras. Sabemos que ele sabia que cada uma dessas cidades possuía um gigante; eles comandavam, mas também eram comandados por um gigante líder, que residia em Gate, que de tão miserável e tão maligno, era deformado. Segundo alguns escritores eruditos, ele era maior do que Golias, do que Isbi Benobe, e do que o outro Golias que aparece no texto, e maior do que Safe. Era dominador; como se fosse o líder dos principados. Cada um desses gigantes representa um nível de principado, e você vai derrubar cada um deles, em nome de Jesus.

De vez em quando, nós encontramos um irmão amado, querido nosso, vencido pelos seus gigantes. Isso ocorre porque ele entrou na terra de Gate, o que no contexto filisteu significa terra da maldição, ou seja, cometeu pecado, desviou-se da sã doutrina, enganou pessoas, agiu de forma que desagrada a Deus. Mas, não existe desculpa para quem quer vencer, pois uma vez arrependido, o Senhor pode restituir a bênção.

Geralmente queremos esconder-nos atrás de mediocridades. Todavia, devemos procurar saber qual a nossa posição e o nosso posto. Em II Samuel 21:21, vemos que Jônatas sabia a posição dele para entrar no campo de batalha na hora da guerra e vencer o gigante.

O nome Jônatas significa amigo fiel, companheiro leal; homem de ação, de integridade, que toma a causa do rei e a do amigo; homem de caráter, de virtude. A Palavra diz que Davi tinha homens de confiança sob sua liderança; eram os seus valentes que também derrubaram gigantes. Jônatas, filho de Simei, era um deles.

Você é um escolhido de Deus, um Jônatas, um amigo fiel na Casa do Senhor para com os seus líderes. Seja amigo fiel de seu líder de célula. Diga a ele que o ama, que pode contar com seu apoio, pois você quer abençoá-lo por reconhecer a unção que está sobre a vida dele.

Tenha a certeza de que tudo aquilo que você semear no seu líder de célula, no futuro, você colherá dos seus liderados. E este é um princípio espiritual verdadeiro não só para a nossa realidade celular, mas para todos os setores da nossa vida. “...pois tudo o que o homem semear, isso também ceifará.” (Gálatas 6:7)

A obediência afasta os gigantes

Vemos nos relatos bíblicos que todos os homens que guerreavam ao lado de Davi eram valentes. Isso significa que não é qualquer um, nem também é de qualquer maneira que se derruba um gigante. Hoje podemos reconhecer um valente através de três características: integridade, fé, santidade.

Deus nos chamou para sermos santos, íntegros, andarmos irrepreensivelmente diante da Sua presença, caminhando passo a passo sustentados pela fé. E, uma vida de santidade requer muitas renúncias, envolve esmurrar a carne, vencendo as tentações.

É um privilégio como também um desafio sermos tentados, pois é no momento da tentação que, ao dizermos não para o diabo, derrubamos o gigante e vencemos de fato. “Bem-aventurado o homem que suporta a provação; porque, depois de aprovado, receberá a coroa da vida, que o Senhor prometeu aos que o amam.” (Tiago 1:12)

Vença e derrube o gigante hoje, porque você é íntegro, é uma pessoa de fé, é santo. Vença as injúrias liberando bênçãos. Vença as mentiras caminhando na verdade. Vença o pecado caminhando na santidade. A unção que estava sobre Jônatas está sobre você. Levante-se e vença este gigante na autoridade do Senhor Jesus Cristo.

O que faz com que vençamos o gigante da maldição, da injúria, da malignidade é viver na bênção, ou seja, andar em obediência integral ao Senhor. O diabo vai dizer que você não vale nada, que você não pode e não consegue. Mas, isso é mentira! Quem não vale nada é ele, porque já está derrotado, tem o seu destino já sentenciado.

Você foi levantado pelo Senhor para andar em vitória, ser mais do que vencedor, manifestar a glória de Deus na Terra e entrar no Céu. Você já tem a vitória! Creia nisso e no seu viver diário manifeste esta vitória sobre o mundo, o diabo e a carne.

Diga para você mesmo que é íntegro, que é uma pessoa cheia de fé, que é santo. Peça a Deus que mude a sua mente, seus sentimentos e que você derrube todo e qualquer gigante que se levantar contra sua vida. Faça isso no Altar do Senhor. Renove a sua mente com a Palavra de Deus como está escrito em Romanos 12:1-2. Pense somente naquilo que é edificante para você (Filipenses 4:8).

Identifique quais gigantes ainda precisam ser vencidos em sua vida e faça uma aliança com Deus, para que Ele lhe dê forças e você tenha a mesma unção que estava em Davi e em Jônatas.

Se você tem coragem de assumir que o gigante estava tendo influência na sua vida, você também tem a mesma coragem para assumir que a unção para derrubá-lo estará sobre você a partir de agora, em nome do Senhor Jesus.

Siga firme, valente de Deus, tendo a certeza de que o Senhor dos Exércitos é quem vai à sua frente para derrubar todos os gigantes, pois você, por direito e herança, já é mais do que vencedor em todas as coisas (Romanos 8:37).

1 de ago de 2012

Maridos solitários... Esposas solitárias


O isolamento de outras pessoas nem sempre é ruim. O próprio Jesus tinha o hábito de isolar-se regularmente das multidões e ficar a sós com Deus, depois de um dia de trabalho em meio às multidões. Nessas ocasiões, ele orava e renovava suas forças. Mas, existe uma solidão maléfica, característica da sociedade em que vivemos. As pessoas podem viver numa mesma casa com muitas outras e ainda assim viver isoladas delas. Já que fomos criados como seres sociais, viver em isolamento geralmente provoca tristeza, depressão, angústia e, em casos extremos, o suicídio.

Isolamento acontece mesmo entre pessoas tão íntimas como marido e mulher. Diversas forças ativas na sociedade moderna estão separando marido e mulher cada vez mais para longe um do outro, em vez de produzir intimidade e mutualidade:
 
1) Numa sociedade tão complexa como a em que vivemos, experiências diferentes e sistemas de valores diferentes separam os casais. Antigamente, as pessoas nasciam e cresciam juntas num mesmo lugar. Hoje, elas vêm de passados completamente diferentes.
 
2) A sociedade moderna tem passado a idéia de que o casamento é um relacionamento na base de 50/50 (fifty-fifty). Isso é, cada um dá um pouco de si. Mas isso não funciona, na verdade. O padrão cristão é 100/100. No casamento, temos de nos dar inteiramente.
 
3) O egoísmo é provavelmente a maior ameaça à unidade do casal. Ser egoísta é buscar realização pessoal deixando o cônjuge de fora. Uma ilusão bastante comum é que marido e mulher podem obter sucesso independentemente um do outro e ainda ter um casamento bom. Na prática, quase nunca isso dá certo.
 
4) Outro fator de isolacionismo são problemas não superados. Os pesquisadores mostram que cerca de 70% dos casais que passam por experiências traumáticas - como perder um filho num acidente, ou ter um filho gravemente deficiente - se separam ou se divorciam.
 
5) A mídia tem popularizado a idéia de que aventuras extra maritais é algo normal. O fato é que, não somente o adultério consumado, mas o adultério emocional - uma amizade muito íntima com alguém do sexo oposto - provoca o isolamento dos cônjuges.
 
6) A pressão contínua do estilo de vida acelerado em que vivemos contribui para que cada vez mais vivamos estilos de vida separados uns dos outros.
 
7) Outro fator é nosso hábito de assistir TV. O problema é mais grave do que a violência mostrada na tela. Membros de uma família podem estar juntos na mesma sala assistindo TV, e estar perfeitamente isolados uns dos outros. À medida em que nos enfiamos em nossos casulos, mais e mais nos desconectamos uns dos outros.

A grande maioria dos moradores das grandes cidades - mesmo cristãos - raramente conhece seus vizinhos! Todo o moderno sistema de comunicação produzido atualmente pela sociedade tende a eliminar cada vez mais o contato humano: Internet, email, chat, etc.

O isolamento é uma ameaça séria mesmo para casais cristãos. Estes cristãos precisam perceber que se não tomarem as providências necessárias e se não tratarem dessa ameaça juntos, acabarão por viver isolados uns dos outros, mesmo debaixo do mesmo teto. Muitos casais casados têm sexo mas não amor. O erro típico que muitos casais cometem é não antecipar que problemas desse tipo podem ocorrer com eles. E quando os problemas surgem, são apanhados desprevenidos.

Vivemos num mundo cheio de problemas. A tentação de muitos, debaixo de pressão, é isolar-se, hibernar como um urso em sua caverna no inverno. Embora essa pareça uma alternativa atraente, é somente com o apoio de amigos que poderemos suportar as misérias desta vida. Fiquei impressionado com o que aconteceu recentemente no Japão, quando três empresários japoneses falidos enforcaram-se juntos no mesmo quarto de hotel. Numa sociedade individualista como a nossa, suicídios não acontecem assim! Mas se os japoneses conseguem ser solidários até na morte, será que não podemos aprender, na vida, a compartilhar nossa existência e experiências com outros?

O que podemos fazer, como cristãos, para vencer o isolamento? Aqui vão algumas dicas:
 
1. Busque maior intimidade com Deus, pela leitura da Bíblia e pela oração diária. Quando nos aproximamos de Deus, podemos melhor nos aproximar dos outros.
 
2. Planeje gastar tempo com seu cônjuge fazendo coisas que ambos apreciam.
 
3. As vezes o isolamento foi causado por uma atitude errada sua, com a qual o seu cônjuge ofendeu-se ou magoou-se. É preciso pedir perdão e buscar a reconciliação.
 
4. Às vezes quando a situação já se tornou muito complicada e difícil, é preciso procurar ajuda espiritual e psicológica. Pastores e psicólogos cristãos podem oferecer apoio e soluções para casos assim.
 
Não permita que o isolamento acabe a alegria do seu casamento. Casados podem e devem ser felizes juntos!
Por Augustus Nicodemus Lopes
 


Texto transcrito do site www.ipb.org.br